Turnover: 12 estratégias eficazes para lidar com ele

Turnover: 12 estratégias eficazes para lidar com ele

O turnover é um problema delicado, que acaba resultando em impactos nos lucros nas instituições. A expressão em inglês refere-se à rotatividade de colaboradores, ou seja, quando há muitas saídas e entradas nas equipes. E esse é um indicador importante, especialmente para os gestores de RH.

Os principais prejuízos ligados ao turnover, além dos gastos com a rescisão contratual, vêm da contratação e treinamento de novos colaboradores e também da ociosidade das vagas remanescentes e na queda de produtividade.

Reunimos aqui algumas dicas valiosas para ajudar você a lidar com o turnover e evitar prejuízos:

1 – Processo seletivo

Começar com uma boa seleção de profissionais é muito importante para evitar um índice alto de rotatividade nas equipes. Parece óbvio, mas novos colaboradores devem estar dentro do perfil da vaga e devem ter empatia com a empresa, no mínimo. Algumas ferramentas podem ajudar e processos seletivos online e empresas de RH podem filtrar os perfis.

Por outro lado, o ideal é deixar claro ao candidato as condições e benefícios e principalmente o que será exigido dele, para que não haja uma decepção futura.

2 – Condições de trabalho

Se um programador não tem um bom computador, ou um cozinheiro não tem boas panelas, o trabalho poderá ser desestimulante. Ter bons equipamentos, além de itens básicos como segurança e higiene, influenciam bastante na relação do funcionário com a empresa. E, em locais com rotinas estressantes, o cultivo do respeito e valorização de esforços é essencial.

3 – Planos de carreira

Quando um colaborador consegue enxergar possibilidades para evoluir, há segurança e engajamento. Um bom plano de carreira deve equilibrar os interesses da empresa e os objetivos profissionais do funcionário. Esse tópico pode ser desafiador para pequenas empresas, porém é importante que os profissionais estejam cientes de suas possibilidades futuras de crescimento.

4 –Vantagens e benefícios

Além de um bom salário, pense em o que sua empresa pode oferecer como benefícios. Muitas vezes horários flexíveis, trabalho parcial em home office, descontos em academias ou um bom curso de inglês são muito atrativos e mantém a equipe estimulada.

Também é importante conhecer o perfil dos seus colaboradores e ficar de olho nas empresas da concorrência para decidir as melhores compensações que pode oferecer.

5 – Salários

A remuneração oferecida pela sua empresa está compatível com o mercado? Salários baixos ainda são a causa mais comum para pedidos de demissões, o que influencia o índice de turnover. Mesmo com bons benefícios, o salário deve estar compatível com a função.

6 – Treinamento

Um bom treinamento pode ser uma excelente ferramenta de motivação. Os temas devem ser relevantes e agregar conhecimento tanto para os funcionários como para a empresa. Além de influenciar positivamente no índice de turnover, essa prática deve também melhorar resultados.

7 – Liderança

Um gestor que não lida bem com sua equipe pode ter uma forte influência na decisão de um funcionário deixar uma empresa. A organização pode estimular boas lideranças com treinamentos e com espaço para feedback dos colaboradores.

8 – Pesquisas de clima e satisfação

Saber o que seus colaboradores pensam da organização deve ser uma prática constante. Pesquisas de clima e de satisfação são os principais recursos a serem utilizados. E, é claro, os resultados devem ser objeto de uma séria análise e, consequentemente, devem derivar em ações positivas.

9 – Feedback

O feedback é um dos jargões mais antigos e comuns do mundo corporativo. E ainda é uma rica ferramenta na relação entre lideranças e colaboradores. Avaliações de desempenho, acompanhadas de ações de reconhecimento e aperfeiçoamento, trazem uma dinâmica de maior apropriação e engajamento no trabalho.

10 – Gestão de ausências

Atestados médicos frequentes, faltas e insatisfação com escalas de feriados e folgas podem ser indicadores de que algo não vai bem com um determinado colaborador. Acompanhe de perto e abra um canal de comunicação para identificar se é um possível colaborador desestimulado.

11 – Entrevistas de desligamento

Mesmo seguindo boas estratégias para evitar o turnover, toda organização deve saber lidar com as saídas de funcionários. É importante uma entrevista de desligamento ou um questionário para avaliar o nível de satisfação e os motivos da saída. Os dados poderão ser utilizados em ações com a equipe que fica.

12 – Substituições

Acompanhe sempre as avaliações de desempenho e os resultados de produtividade. Se um colaborador realmente não se encaixa, ele acaba desestimulando e prejudicando a equipe. É melhor abrir mão desse colaborador do que prejudicar os demais. Portanto realoque, treine e dê feedback. E se não for possível resolver, a melhor opção é dispensá-lo.

Parece difícil? São muitos detalhes, sim, mas quando essas medidas entram na cultura da empresa, os resultados vão compensar.

2018-11-21T17:23:34+00:00