CEL.LEP MIGRA TEMPORARIAMENTE PARA O ENSINO ASSISTIDO POR TECNOLOGIA EM RESPOSTA AO MOMENTO DA COVID-19

Com forte cultura tecnológica, a Escola retoma as aulas em ambiente virtual por meio de um modelo que mantém abordagem e metodologia pedagógicas.

Em função da suspensão das aulas presenciais e atividades culturais por tempo indeterminado, como medida de contenção do novo coronavírus, o Cel.Lep, uma das principais escolas de idiomas e tecnologia do País, se reorganizou rapidamente para manter o ensino-aprendizagem da segunda língua aos seus alunos.

Neste sentido, a Escola realizou uma migração estruturada para o ensino assistido por tecnologia, em caráter provisório, por meio de um aplicativo de reuniões que promove videoconferências. Não se trata meramente de uma solução de ensino à distância, mas sim de manter a abordagem e a metodologia do Cel.Lep, pautadas em recursos presenciais, na interação entre professores e alunos e na comunicação direta, componentes cruciais para o aprendizado da língua estrangeira.

“Em função do fechamento de nossas unidades por conta do isolamento social, tivemos que nos reorganizar e adotar, temporariamente, as videoconferências para a continuidade das aulas. Trata-se de uma solução muito interessante, pois conseguimos, da mesma maneira, formar as salas de reunião que tínhamos em classe, e mantermos integralmente a proposta pedagógica do Cel.Lep”, afirma Alexandre Garcia, CEO da Escola.

Para isso, a Escola promoveu a capacitação docente para o melhor uso do aplicativo, bem como realizou treinamento gerencial para atendimento remoto, suporte às famílias, escolas e empresas parceiras. Desta maneira, o Cel.Lep atua para garantir o compromisso e toda a excelência dos seus mais de 52 anos de tradição também neste período de contenção social.

As equipes acadêmica e administrativa, bem como todo o corpo gerencial, estão 100% engajadas, se reinventando e descobrindo novas formas de aprender e ensinar.

“Estamos passando por um momento complicado que, acima de tudo, está servindo para exercitarmos ainda mais a empatia, a resiliência e a inteligência emocional”, afirma Patrícia McKay, diretora pedagógica do Cel.Lep.

Com a adoção temporária do ensino assistido por tecnologia, as aulas, neste período de fechamento das unidades, estão sendo realizadas em ambiente virtual e o laboratório interativo de línguas, um dos diferenciais do Cel.Lep, e que representa metade do curso, está sendo feito de forma remota pelos alunos.

Todos os gestores e coordenadores de unidades do Cel.Lep permanecem em contato com alunos e pais, oferecendo as opções para o uso da língua estrangeira via guia de estudos, plantão de dúvidas, chats online e conversação via teleconferência, entre outras atividades, sem custo adicional, até que as aulas sejam retomadas. Este atendimento cuidadoso e individual, mesmo no momento de pandemia, é uma prioridade, já que faz parte da cultura da escola.